Estratégias internacionais para a volta às aulas presenciais

A BBC News, rede de comunicação pública britânica, visitou escolas em algumas países que já iniciaram o retorno às aulas após o período de isolamento social. As experiências servem de modelo para o Brasil, onde não há previsão de quando a pandemia permitirá o retorno às aulas presenciais.
Alguns dos países que reabriram suas escolas priorizaram as crianças menores, por sua menor taxa de adoecimento e para liberar seus pais para voltar ao trabalho. A infância é, também, uma das etapas mais difíceis de se fazer um ensino remoto de qualidade.

A reportagem da BBC mostra rotinas bem diferentes das adotadas antes da pandemia. No Reino Unido, por exemplo, que reabriu parte de suas escolas em 1° de junho, crianças da pré-escola e anos iniciais não puderam mais fazer as aulas sentadas lado a lado no carpete, como de costume, mas sim enfileiradas em carteiras — um modelo de sala de aula mais antiquado e menos interativo.
Cada turma foi dividida em dois grupos: um deles frequenta as aulas de segunda e terça; o outro, de quinta e sexta-feira. Na quarta-feira, a sala de aula é limpa minuciosamente. Todas as classes foram equipadas com álcool gel e lenços umedecidos.

Mesmo assim, a BBC diz que verificou o receio dos pais em enviar seus filhos para a escola. Em uma delas, segundo a reportagem, apenas 32 de um total de 85 crianças apareceram no primeiro dia de retorno.

Na Dinamarca, onde as escolas estão reabertas desde 15 de abril, as crianças têm de lavar as mãos de cinco a seis vezes por dia. Classes de 20 alunos foram divididas em duas e as crianças não podem se aproximar. No recreio, podem brincar em grupos de no máximo quatro, e cada grupo fica em um canto do pátio.

No Brasil, segundo a rede de notícias, o Conselho de Secretários Estaduais da Educação (Consed) está usando a experiência internacional para elaborar as diretrizes que vão ajudar redes e escolas no retorno. Entre as orientações, estão a de se suspender atividades presenciais em grupos, limitar a quantidade de alunos à metragem da sala, revezar horários de entrada, saída e recreação, sinalização de rotas dentro da escola para minimizar as chances de contato entre alunos e criar rotina de triagem e higienização na entrada das escolas.

A criação de protocolos de retorno às aulas é um dos assuntos discutidos no webinar internacional Enfrentamento à covid-19: horizontes da educação, para o qual você pode se inscrever aqui.

Posts relacionados

Remodal